Quem é, o que pensa e o que deseja ser o jovem consumidor digital?

20 Nov
DR

Fonte: Gazeta do Povo

Por João Correia*

O consumidor digital valoriza menos a publicidade e ouve mais os conselhos de amigos, experts e até mesmo de marcas que considera importantes. Ou seja, o word-of-mouth torna-se o maior influenciador das mentes consumistas. Outra característica deste público é o impulso de compra, motivado pela tentativa de se sentir parte de uma comunidade.

Atualmente, há uma tendência para que profissionais de marketing e de desenvolvimento de produtos, publicitários e especialistas em social media tentem responder a estas perguntas. Uma tarefa que não se tem revelado nada fácil, já que as mudanças de motivações de compra ocorrem a uma velocidade alucinante. Obter sucesso nesta investigação, no entanto, é garantir a sobrevivência num mercado que, a cada dia que passa, se torna mais complexo e repleto de incertezas. Embora o processo ainda seja muito embrionário e não se possa afirmar claramente quem é este novo público – e muito menos apresentar fórmulas mágicas para seduzi-lo -, há uma série de indícios que vão delineando o perfil e o melhor modo de dialogar com o consumidor do futuro.

Durante a redação deste texto, exploraram-se alguns estudos que indicaram as tendências de consumo da nova geração digital.
Uma das principais constatações das pesquisas é que os consumidores digitais valorizam menos a publicidade massiva e ouvem mais as sugestões dos amigos, especialistas e até mesmo de marcas com as quais se identificam. Neste contexto, um anúncio publicitário tem menos valor do que uma lista de top ten publicada num site de especialidade ou recomendações postadas no facebook de um amigo. Por isso, ações de marketing viral que estimulem o word-of-mouth digital têm grande recetividade da população.

DR

Fonte:ideiademarketing

Também importante é a descoberta de que a expetativa de aquisição de um produto é mais vivida do que a própria posse em si. O desejo de consumir pode ser interpretado como uma forma de se sentir parte de uma comunidade. Este sentimento ganha força por culpa de uma aceleração da sociedade em que vivemos, que provoca no consumidor digital um anseio e uma tentativa de experimentar tudo, no menor tempo possível, sem se prender a crenças ou estilos. Além disso, a nova geração consumista não é muito fiel a marcas e não gosta de ser estereotipada nas ações de comunicação. Há ainda dados que comprovam algo que os especialistas em marketing digital já perceberam há algum tempo: para alcançar os novos consumidores, não basta uma campanha publicitária tradicional. É necessário partir para ações que, além da publicidade, insiram a marca no mundo online com o qual este público está habituado a relacionar-se. Assim, a estratégia deve passar pela aposta nas ferramentas digitais, como envio de publicidade online, sms, merchandising em jogos de vídeo e marketing viral.
A grande questão de hoje é avaliar o quanto um produto ou serviço está ligado ao quotidiano do consumidor. Para alcançá-lo, devem ser utilizadas as diferentes ferramentas de marketing atualmente à disposição no mercado, como motores de busca e word-of-mouth digital. A nova geração é adepta das comunidades online. O consumidor digital mais jovem confia mais no amigo que tem uma página no Facebook ou que conversa com ele no Skype do que na publicidade. Este público está inserido em comunidades. Acessa o Facebook, YouTube, Wikipedia, etc. As empresas devem-se lembrar disso na hora de preparar os planos de comunicação.
Indo um pouco mais longe, é preciso investir na experimentação. As marcas precisam criar experiências reais, a ponto de provocar uma publicidade espontânea na internet por parte das comunidades. Resumindo, as marcas devem encantar os jovens consumidores, para levá-los a falar bem dos produtos em páginas do Facebook ou blogs. O grande desafio, claro, é como fazer isto, pois ainda não se encontrou uma linguagem de marketing adequada em relação a todos os recursos digitais. E este jovem consumidor não é passivo. Não é a comunicação que o cria, mas sim ele que escolhe ao que vai dar atenção.
Com tantas facilidades para aceder o que quiser, uma das características mais marcantes do consumidor atual é o seu nível de informação. Isto influencia todos os diferentes segmentos de público e afeta diretamente a relação dos consumidores com produtos e serviços. Os consumidores hoje têm mais opções e informações sobre os itens durante a pré-compra e, cada vez mais, interagem entre si por meio de ferramentas digitais, trocam experiências sobre produtos e serviços, além de falarem do impacto destes na sua vida e desenvolverem novos relacionamentos. As tecnologias digitais tornaram o consumidor mais exigente. Ele sabe que agora existe uma série de benefícios e funcionalidades nos produtos, e exige isso das marcas.

*Aluno do 3º ano da Licenciatura em Marketing, Publicidade e Relações Públicas, no Isvouga, Instituto Superior de Entre Douro e Vouga.

Artigo realizado no âmbito da unidade curricular de Comportamento do Consumidor

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: